Cresce o número de bancarizados na pandemia, afirma BC

Tempo de leitura: 1 minuto

De acordo com dados do Banco Central, chega a 182,2 milhões o número de bancarizados em dezembro de 2021. Crescimento de 10,3% em relação a fevereiro de 2020, antes da pandemia. Foram mais 16,6 milhões cidadãos que se tornaram clientes das instituições financeiras.

Para o levantamento foram levados em consideração os clientes ativos do sistema financeiro. Porém, o balanço de dados anuais de CPFs que estão regularizados com a Receita Federal ainda não foi divulgado. A contabilidade dos CPFs foi feita de forma simultânea uma única vez, mesmo tendo vínculo com mais de um banco.

O crescimento do número de CPFs ativos foi de 8,66%. A alta se deve ao pagamento do auxílio emergencial, ou coronavoucher. No ano passado a alta foi de 1,84%. Segundo estimativa do IBGE(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Com a chegada do PIX, também reduziu a circulação do dinheiro em espécie no país, que teve queda pela primeira vez desde o plano real. Na pandemia foram fechadas 2.351 agências bancária.

Segurança e inclusão

Para a Febraban(Federação Brasileira de Bancos) tornar os serviços financeiros mais acessíveis é essencial para a inclusão social e pra combater a desigualdade no país.

“Ao movimentar seus recursos em bancos, as pessoas têm acesso a produtos e serviços que proporcionarão mais conforto, segurança e rentabilidade. Além disso, passam a ter acesso a crédito, disputando recursos a taxa mais em conta e ficam livres da agiotagem.”

diz Febraban.

A federação afirmou que o PIX contribuiu para o impulsionamento da bancarização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *